Criança

Chuva de flores

Cobre-lhe a cabeça arsenal

De infinita sabedoria

Inesperadas aptidões

Na forma primorosa de cristal

Harmonioso corolário

De incontestáveis valores

Na encantadora magia

Da sua imaginação.

Chuva de flores

Cobre-lhe a fronte.

Na pureza dos seus lábios

Vejo-o irmanado

À imagem de Deus

Seus olhos emoldurados

De ternura conseguem mostrar

Súplica, medo, alegria

Chuva de flores

Envolve-lhe o coração

Com vibrações de vida

Na maior sublimação

Das coisas exteriores

Criança!

Operário do nosso destino.

No terreno das inconseqüências

Caminha firme no seu afã.

As luzes do Deus menino

Entre segredos a conduzirão

Nessa viagem do amanhã.