FUNÇÃO GENÉTICA


Amar a vida,

amar a natureza

são emoções contidas

na arte de saber amar.



Sobre uma mesa preparada

com linho branco forrada,

um corpo adiposo exposto

com pessoas ao seu redor

para um trabalho de gosto.

Ferem - lhe o ventre, e

de suas entranhas é extraído

um corpo inerte.

Nomearam – lhe semente.

Tem vida, sim senhor.

É função genética, afirma a ciência.

É ainda uma criança, ensina o professor:

em ambiente adequado terá pleno desenvolvimento,

surgirão protuberâncias com adorno verdes, folhinhas e,

se tratada com carinho, se tornará em tempo

árvore frondosa, gigante.

Sob sua copada brincarão crianças

em manhãs ensolaradas.

Nas tardes outonais, em meio ao crepúsculo,

guardará, em silêncio, segredos dos amantes.