Uma historinha sobre o Natal

Rogério Salgado

“Quando eu era pequenininho, em todos os Natais eu era feliz, porque em todos os Natais, Papai Noel deixava aos pés da minha cama, o presente que eu lhe pedia. Assim que fui crescendo, comecei a observar que as criancinhas que eram mais pobres do que eu, recebiam presentinhos bem fajutos e aquelas criancinhas que eram bem, mas bem mais pobres mesmo, passavam o Natal tristinhas porque não recebiam nenhum presente. Foi assim que descobri que Papai Noel era um velho muito filho da p... e além de tudo, era sacana e preconceituoso socialmente.

Cresci e pude observar que a maioria das pessoas se envolvem no espírito do Natal e fazem campanha para ajudar os que precisam todo mês de dezembro, mas durante o resto do ano pensam apenas em si mesmo. E observei que muitas pessoas que se julgam cristãs estão equivocadas em relação ao amor e a caridade e a tudo aquilo que o maior poeta que já habitou este mundo, o mesmo que nos ensinou a “amar ao próximo como a nós mesmos” havia nos ensinado.

Daí decidi não pensar muito em Natal, mas sim em ser uma pessoa mais humana durante os 365 dias do ano. Se vou conseguir, não sei, mas pelo menos posso tentar.”