Abandono

Sinto um vento frio

Que vem do mar.

Corpo cansado, corpo vazio

Sozinho

Na mesa do bar

Sou a própria fantasia.

No abandono deste desencanto

Acaricio pétalas caídas

De uma flor mulher

Que coloriu minha vida

De sonho sou menino

De real sou um qualquer.