Indecisão

São tantas as flores!...

Todas muito belas!

Rosas, margaridas

Leves ao vento

Sob acácias amarelas

Aos meus olhos enamorados

Castas noivas do tempo.

No cenário verde do espaço

Algumas atraentes

Como a luz do amanhecer.

Outras alvos extratos

Em tardes outonais.

Nem o esplendor da lua

Ofusca o encanto das demais.

Todas refletem com ternura

A sensibilidade dos poetas

Com exagero me tocam

Com exagero me sufocam

Diante da rosa

Prisioneira me ponho

Na ânsia secreta do amor

A margarida é para mim

Abrigo divino

Dos meus sonhos.