Louca aventura

Preciso viajar.

Louca aventura,

Conhecer o mundo encantado

Onde existe esplendor

Dos pássaros multicores.

Chão orvalhado

Coberto de flores.

Floresta espessa, escura

Paz que acalenta

Também amedronta.

Conhecer os irmãos selvagens

Livres, fortes, valentes.

Seu canto, seu ritmo marcante

Seu grito de guerra

Mexem com os nervos da gente.

Banhar o corpo nu

(Virgem das matas)

Nas águas da cachoeira

Como um pássaro esvoaçante

Em busca da companheira.

Andar por muitos atalhos

Caminhos desconhecidos

Grutas, vales e serras.

Descansar sobre um tapete

De folhagem ressequida

Embalada pelo sussurrar das aves

Adormecer envolvida

No mistério inexplicável

Desta minha fantasia.

Discernimento

Dentro de nós, certamente

Uma voz secreta

Se faz presente

Nos conduzindo ao bem

Às vezes à maledicência

Aprovando.

Reprovando nossas ações,

Sem palavras, sem ecos.

Nos corrigindo sem agressões.

É a voz da consciência.