Rosa dourada

Lá fora, naquele chão

Pisado, sofrido

Sem vegetação

Sem pássaros, sem gorjeios

Tal um coração doído

De angústias e receios.

Cresceu uma rosa

Linda, dourada

Como se fosse uma semente

De ouro ali plantada

Ao sol ergue-se formosa

De crepúsculo se veste

De estrelas se cobre

Baila as vibrações do vento

Que adormece

A faz despertar

Com beijos e carícias

No delírio de amar

Vento estouvado

Deixou a rosa caída

Desfalecida

Nunca mais a procurou

Cavaleiro andante

Das mil e muitas noites

Busca em terras distantes

Outras flores para amar.

Por certo as encontrou.

Por que não veio nascer

Junto a mim

Rosa dourada?!

Temos algo em comum

Um resto de vida

E mais nada.