SEMENTES... FELIZES SEMENTES...

Escolho pensamentos felizes... felizes sementes...

Sinto a intensa magia que arqueja o seio, o coração disparado de amar...

De peito aberto, meu corpo irradia e treme e desfalece. Cai nas garras da sedução e me deixa louco de amor.

Planto sementes em terra favada.

Inigualável na arte de amar enxugo palavras, sorvo o belo e quero sorrir, quero sorrir no encantamento de ser possuído...

Aprecio o belo procurando o além. Deslizo por vastos campos e depressões e marco feito tatuagem o quente ventre da terra santa.

Desfaleço. Ouço pássaros cantarilhos que desfiam rosário de penas. Choro a cantar.

Ventos fertilizantes, brisa da manhã hão de fortalecer toda união.

Amamos...

O amor reconstrói processos mentais. Fertiliza sementes e transforma a fala egocêntrica, dá ouro ao sol, se disfarça e faz a gente pecar.

Pelo amor o pobre animal homem deixa de existir para formar uma completa entidade social, transformando-se em animal social, adquire o aspecto característico do comportamento humano.

Estou aberto para o fluxo abundante do prazer, divinamente protegido e guiado para dois.

Nossos singulares talentos, nossas criativas habilidade hão de fazer fluir, ondas borbulhantes... enfim.

Na afinidade que nos une tudo é perfeito, completo, pleno.

Teremos dentro de nós fórmulas do sucesso amorizado.

Plantamos sementes, sementes do prazer, sêmen do amor.

Sementes...felizes sementes...

Tudo é bom, é belo, é divino.