EDUCAÇÃO NACIONAL – FORMAÇÃO DO CARÁTER

08/02/09

Ao receber o mais recente trabalho do Professor Américo Menezes fui tomada simultaneamente por um sentimento de alegria, gratidão e orgulho. Alegria, por testemunhar a felicidade do autor ao percorrer mais esta relevante etapa de vida no âmbito de sua trajetória acadêmica e existencial. Gratidão por ter sido contemplada com a distinção de poder apreciar um trabalho inédito e de tão importante cunho social. Orgulho, por ter comungado e participado da construção dos mesmos paradigmas, ainda que modestamente, como educadora e pedagoga que luta e acredita: ainda teremos a educação de qualidade que almejamos.

Educação é sempre assunto atualíssimo. Discutir educação é tarefa árdua, mas gratificante. Tarefa árdua porque perpassa todos os níveis da vida e atinge setores mais distintos de nossa sociedade, tais como as áreas da saúde, da política, da sociologia, da economia, da ecologia, só para lembrar as áreas mais em evidência na atualidade. É tarefa gratificante porque faz parte do nosso dia a dia e sua reflexão interfere sobremaneira em nossas vidas.

Em sua excelente obra, EDUCAÇÃO NACIONAL – FORMAÇÃO DO CARÁTER, o Professor Américo Menezes procura resgatar a inspiração de uma educação nacional que realmente eduque nossas crianças. Utilizando linguagem didática nos oferece, com seriedade e autoridade de Mestre com larga experiência na área, preciosas sugestões, verdadeiras lições de educação e vida.

O professor Américo Menezes com o precioso livro EDUCAÇÃO NACIONAL – FORMAÇÃO DO CARÁTER nos brinda com significativas lições de educação sem se omitir de responsabilidades para criticar a formação oferecida hoje aos nossos jovens.

Em EDUCAÇÃO NO JAPÃO ou O EDUCANDÁRIO “CARAÇA” ele nos fornece exemplos de uma realidade de sucesso educacional e em EDUCAÇÃO E INFORMÁTICA enfoca a importância da pesquisa e da informação na preparação das novas gerações. Precisamos acompanhar a evolução da sociedade e lutar, diz o Professor Américo, ir para as ruas, fazer protestos públicos e se preciso for até com faixas e cartazes. É preciso legar aos nossos filhos uma educação de qualidade que instrua e eduque e forme cidadãos livres e conscientes. Ressalta o comprometimento de toda a sociedade e principalmente cobra deveres esquecidos pelos responsáveis da implantação de um programa nacional que realmente atenda aos anseios da sociedade.

Assim, o autor de EDUCAÇÃO NACIONAL – FORMAÇÃO DO CARÁTER mostra como o Brasil, em meio a tantas desigualdades sociais, encontra, nas reflexões sobre a educação um espaço importante para desenvolver críticas e propostas concretas tendo em vista um amanhã esperançoso de vida digna: coloca a vida novamente no seu lugar de honra.

Lembra que o sujeito da nossa reflexão é a pessoa humana que vive num cenário imposto por uma ideologia, num sistema político representado pela globalização que muitas vezes não observa o princípio constitucional de respeito à dignidade humana e qualidade de vida no trabalho. Em O QUE É APRENDER, “Sem aprender, pode-se trocar o útil pelo fútil, o trabalho pela distração. E o resultado não pode deixar de ser um permanente insucesso pessoal, um após o outro” o autor reforça que a educação é que nos impele a priorizar a cidadania como resgate da dignidade humana na sociedade e no trabalho.

Através da análise de questões como EDUCAÇÃO E TRÂNSITO, EDUCAÇÃO E URBANIDADE, EDUCAÇÃO E ECONOMIA, EDUCAÇÃO E INFORMÁTICA e outros o Professor Américo enfatiza que não é possível a adoção de padrões de conduta válidos para toda a humanidade, mas que o respeito às diferenças e o exercício da tolerância e solidariedade são princípios fundamentais para o encontro promissor com o outro.

Era de se esperar que o professor Américo Menezes, Catedrático de Língua Portuguesa e autor de outros excelentes livros sobre Educação, nos premiasse com mais uma obra de qualidade.

EDUCAÇÃO NACIONAL – FORMAÇÃO DO CARÁTER é “uma obra de amor ao Brasil”. Esta afirmação é evidenciada logo no início da obra quando o autor afirma que “O fenômeno que ocorre na atualidade de profundo descaso pelo problema da Educação em nosso país tem uma evidência que era para se sair fazendo protestos...”

Que a leitura e a reflexão destes textos nos ajudem sempre a ser mensageiros da dignidade humana e promotores de uma educação de qualidade.