IDEAL

Se quero a luz do sol que ilumina montes verdes,

exploro fontes, borboletas, novos universos...

Se almejo o esmaecer cintilantes de tardes,

caminho em meio de gente, amigos dispersos...

Em noites silenciosas entre beijos ardentes

ou entre carinhos de furtivos amores, caminho...

Busco e luto por meu ideal em solos ferventes

mesmo que seja de...va... ga... ri... nho...

No horizonte, muito acima do mar, glorifico

e meus sonhos coloco todos em pedestais.

Qual albatroz altivo a plainar o canto eu purifico

o coração e amo ao som de carícias colossais .

Ao visualizar a terra, o céu e o mar,

conhecer as belezas em perfis universais,

em solidão me ergo aos céus a sonhar

e por meu ideal mergulho até crateras abissais.

Sinto... aspiro a pureza do sonho em mim,

venço a fórmula que perfuma, sem vendavais,

o tempo absurdo e ideal e confirmo, enfim,

tudo conquisto, juro pelos meus ideais.