IDEALIZO

Quando me ponho a refletir, em rimas idealizo amores.

Entre pensamentos e sonhos, ondas e brumas, quero viver

festejando a vida, navegar e até esquecer choros e dores.

Às vezes solitário, devaneio entre rimas, faço a trova sobreviver.

Existe um campo magnético que me atrai e seduz,

nele busco palavra certa, faço versos e espero ser ouvido.

Mas, às vezes, descortinam o tudo e o nada – cruz!...

É quando o fôlego crítico é estrangulado na garganta.

Crio novas forças, interpreto a cultura, os valores

da sociedade, quero mudar o mundo, enfrento gerações.

Quero ouvir minha voz para divulgar mil sabores.

Quero ser importante, intelectual de realizações.

Vou dialogar, buscar novas conquistas, viver em paz,

com a consciência tranquila, sonhar não me custa,

e a importância de nossos sonhos e capaz

de construir uma sociedade fraterna, mais justa.