NATUREZA

Atenção! O poema pode ser cantado com a música de roda Periquito Maracanã, repetindo o estribilho após cada trova.


Plantei flores no passado,

em mão plena ofereci.

Deste tesouro ofertado.

alegres frutos colhi.


Há flores pra todo lado,

no jardim imaginário,

um caramujo calado,

bem-te-vi autoritário.


Nesta rosa tão vermelha,

cheia de vida e fulgor,

vejo uma bela sentelha[1]

de enorme carinho e amor.


Quando as roseiras florescem,

todos os viventes se calam,

aves, campos emudecem,

bruxas, duendes se abalam.


Árvores sempre florescem,

dão frutos se bem tratadas,

nascentes logo aparecem

em serras também cuidadas.

Preservar é, acredite,

um ato de puro amor.

Nosso planeta, medite,

é belo quando tem flor.



[1] Sentelha: faísca, partícula luminosa,inspiração.