PASSAGEIRO ERRANTE

Se o frio chega

em nossos corações,

não se faz algo mais

senão viver de ilusões.


Sou um passageiro errante

neste mundo, sem guia,

sem irmão, caminhando

numa madrugada fria.

A luz suave da estrela matutina,

testemunha da minha carência,

risca o firmamento

com beijos primaveris,

despede-se em tempo

da travessia linda do amanhecer

- a luz do sol canta a criação.

Sou passageiro errante

ante a natureza do caminho:

a cada flor despertada,

a cada folha caída,

a cada semente plantada

a paz opressora

desta minha solidão.

- Sinto a glória do por vir.

Saberei agora me conduzir

na pureza das águas cristalinas.

Vejo nelas as glórias do porvir.