VOU-ME EMBORA, VOU VIAJAR...

História em sala de aula é a literatura exercendo uma de suas múltiplas facetas.

Um texto literário, lido ou em forma de contação de histórias, conquista de imediato o ouvinte/leitor. Assim a história exerce seus objetivos enquanto expõe novos caminhos para além da imaginação e socializa pessoas de diferentes meios e territórios; liga e conjuga o ontem com o hoje e projeta o cidadão a um outro lugar, assim como, para um outro tempo.

A leitura histórica leva o leitor a desejar conhecer novas culturas. É fonte de inspiração para escritores que desejam desvendar o mundo em transformação.

Literatura histórica é reflexão, é alimento da alma.

É despertencimento! O sujeito sai da zona de conforto, se entrega, volta-se para o outro e retorna mais enriquecido e criativo para uma volta mais prazerosa ao seu Eu!

Com um livro na mão, o leitor coloca-se em movimento, parte do hoje para o passado e constrói o futuro. Pode até chegar ao mar ou às montanhas de uma terra distante, aprecia a história e as origens da sociedade.

Quando o sujeito se apropria do conhecimento histórico/científico, se desenvolve socialmente, conhece a cultura de outros povos e é capaz de exercer com maior clareza os seus direitos e deveres. Está pronto para exercer responsabilidades como cidadão.

O conhecimento histórico literário possibilita enfrentamentos seguros e responsáveis para a compreensão e possíveis soluções para aspectos da realidade.

Quando eu apresentava algum texto nas aulas de história para meus alunos do ensino fundamental muitas vezes ouvia: - isto aconteceu realmente?

Cabe a nós, escritores e agentes de mudanças, descobrir novas e diferentes abordagens didáticas para trabalhar, propiciando uma abordagem significativa, considerando os ouvintes como pessoas capazes de discernir de forma consciente o conhecimento adquirido.