Prefácio para a autora Maria do Rosário Silva Santos

Maria do Rosário Silva Santos é advogada, poeta e pintora é membro correspondente da Academia Feminina Espírito santense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Como pintora tem recebido prêmios, troféus e diplomas. Neste mais novo trabalho, Maria do Rosário, numa tentativa bem sucedida de aproximar o texto literário com o plástico, nos brinda com mais uma excelente obra de alto estimulo cultural. Além do estímulo visual de pinturas sugestivas da autora/pintora, Maria do Rosário resgata histórias de grande evocação cultural e oportuniza a novas gerações o contato com histórias formadoras do imaginário popular. Enquanto a pintura prioriza o espaço, a cor, a linha, a

IDEAL

Se quero a luz do sol que ilumina montes verdes, exploro fontes, borboletas, novos universos... Se almejo o esmaecer cintilantes de tardes, caminho em meio de gente, amigos dispersos... Em noites silenciosas entre beijos ardentes ou entre carinhos de furtivos amores, caminho... Busco e luto por meu ideal em solos ferventes mesmo que seja de...va... ga... ri... nho... No horizonte, muito acima do mar, glorifico e meus sonhos coloco todos em pedestais. Qual albatroz altivo a plainar o canto eu purifico o coração e amo ao som de carícias colossais . Ao visualizar a terra, o céu e o mar, conhecer as belezas em perfis universais, em solidão me ergo aos céus a sonhar e por meu ideal mergulho até c

AMOR IGUALDADE E LIBERDADE

Se somos todos iguais perante Deus que é a lei, o que falta neste mundo, com amor, construirei. Não é a roupa do corpo que já faz você melhor. Se você não for do bem, Será sujeito pior. Todo ser humano bom Não inventa uma desculpa. Tem que perdoar, é dom e pede perdão sem culpa. Sem uma boa amizade sei que não posso viver Sem orgulho e vaidade vamos ver acontecer. Pelo universal amor, luto pela igualdade. Não esqueço da justiça e também da liberdade. E sempre no bem andar, de cabeça sempre erguida. Mas tenha um coração limpo, será tranquilo na vida. Se você plantar amor em tudo com igualdade, justo será, por favor, vença já com liberdade. A luta é pelo amor a luta é pela igualdade lutemos

EDUCAÇÃO NACIONAL – FORMAÇÃO DO CARÁTER

08/02/09 Ao receber o mais recente trabalho do Professor Américo Menezes fui tomada simultaneamente por um sentimento de alegria, gratidão e orgulho. Alegria, por testemunhar a felicidade do autor ao percorrer mais esta relevante etapa de vida no âmbito de sua trajetória acadêmica e existencial. Gratidão por ter sido contemplada com a distinção de poder apreciar um trabalho inédito e de tão importante cunho social. Orgulho, por ter comungado e participado da construção dos mesmos paradigmas, ainda que modestamente, como educadora e pedagoga que luta e acredita: ainda teremos a educação de qualidade que almejamos. Educação é sempre assunto atualíssimo. Discutir educação é tarefa árdua, mas gr

Cooperação Brasil Angola

Já em 1532 a sociedade brasileira se organizou econômica e civilmente, se formou como sociedade agrária na estrutura, escravocrata na técnica de exploração econômica, híbrida de índio e mais tarde de negro. O Brasil não se preocupou com a unidade ou pureza da raça. O português considerava seu igual aquele que tinha religião igual a sua. O catecismo dos jesuítas e as Ordenações do Reino garantiram a unidade religiosa e a do direito A sociedade era pautada pelo exclusivismo religioso, o regime autoritário prevalecia pela força do braço e pela espada do fazendeiro. Nunca a sociedade evitou a miscigenação nem excluiu a atração sexual entre as raças formadoras do povo brasileiro, muito menos se v

POETA

O poeta ao poetar transpira emoção. É ser refulgente. Embeleza o mundo, reconstrói o real trabalhando o imaginário. Busca no outro o amor sublime da vida, a rosa oculta no jardim, a melodiosa tarde empassarada... Admira o belo! Simplesmente, o belo sem julgamentos, nem sei se por intuição ou se por conceitos racionais, mas admira. Vai além... muito além... Além da Terra, além do céu, fora do sistema Solar. Poeta é um ser iluminado capaz de ouvir o farfalhar de folhas orvalhadas, o marulhar de águas encantadas... O ruído de Sol ao nascer, um coração solitário a bater. Poeta é um prosador iluminado? Ou iluminado é o prosador que se ilumina no poeta?

NESTE FIM DE ANO...

Neste fim de ano estou mostrando muito mais: um conjunto de pessoas compartilhando ideais, organizações tornando felizes os mortais, a conquista de extraordinários resultados, por mais que sejam dificultados. Hoje eu quero, vendo os líderes fortalecidos, enfrentar a vida, com limites determinados. Quero um mundo inteiro abraçado no amor e na amizade, confraternizado. Hoje, eu posso gritar orgulhosa para o mundo todo: - Diante de rajadas que dilaceravam o peito vislumbrava sempre a beleza do sol nascente. E acreditava: - Se nem tudo Deus me deu também nem de tudo me privou. Não permitiu que os embates fossem maiores que minha capacidade de vencê-los. Se me restam as lágrimas de não ter sempre

ENTREABRAÇOS...

Como asas de colibri freneticamente a natureza inflama viva, vibra, “entreabraços” entumece, estremece em pulsante frenesi. Bocas amordaçada calam-se submersas em devaneios, em convulsões submissas, dominadas. Beijos ardentes proibidos, causticantes sentimentos enclausurados explodem. Seios palpitantes, oculto-desnudos implodem amantes em transe liberados. Assim fragilizados esmorecem e como asas do cuitelo em mil pulsações pairam eternamente saciados. ENTRELABRAÇOS... ENTRELAÇOS...

PROSETIZAR!

Disposição ordenada de partes, fluxo sonoro e agradável de palavras, sussurros que faz o homem ver o mundo com olhos de Deus. Suavidade de amantes mãos, de flores orvalhadas, de corpos ardentes que se entrelaçam e se completam. Poesia que alimenta e desafia corpo e alma de um ser. Prosa, inesgotável linguagem inspiradora, mesmo sem a forma poética, faz umedecer os lábios dos corpos da vida, palpitar corações amantes, renovar esperanças. Encantamento poético que faz viver humanidades, dá colorido à vida, desperta sensações. A rigorosa metricidade que define o poema, me foge agora. Quero a infinita musicalidade da palavra para usá-la com propriedade e desencadear diálogos interativos com fictí

Dezembro / 98 - PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DE “AS ACADÊMICAS”

Podemos enumerar uma série de exemplos bons e ruins a respeito de nossa qualidade. Mas acreditamos e tentamos planejar a nossa atuação de acordo com nossa realidade, numa visão clara do que se podia realizar e sabendo que outras parcerias viriam e com elas a multiplicação de resultados. Condição indispensável para o sucesso de qualquer trabalho é o despertar daqueles que nos leram para que se sintam donos de “As Acadêmicas”. Só assim conseguiremos conquistar e firmar novas posições. Se formos fixar os nossos problemas e justificar nossas fragilidades encontraríamos barreiras intransponíveis: as inúmeras solicitações do mundo moderno, as necessidades de nossas famílias, baixos salários, falta

...E SE VOLTAVA SEMPRE !

Não sei como se conseguia arrumar toda a bagagem e aguardar a hora de voltar. Crianças e adultos. Adultos e crianças. Férias na Fazenda Primavera num se esquece. As pessoas, os animais as plantas, tudo numa sucessão de visões e deslumbramentos. Cada tipo com suas especialidades e características. Uns tímidos, outros falantes iam se sucedendo. Era um desfile permanente em frente à Casa de Pau, única loja das redondezas, onde se encontrava de tudo mas se deixava sempre registrado um cordel de ingênuos e coloridos documentários orais. A Casa de Pau foi estrategicamente construída. Independente do lado que se viesse lá estava ela a nossa espera. Branca com telhados vermelhos recebia a todos de p

COMPROMISSO PARA FINAL DE MILÊNIO

Moro num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza. Possui potencialidades ainda não exploradas e/ou desconhecidas pela maioria da população. Seu povo não sabe o valor que tem e por isso sofre desigualdades históricas, necessidades urgentes que precisam ser atendidas. Politicamente o Brasil tem se debatido entre pressões externas, políticas econômicas equivocadas e sucessivos programas de governos. Não consegue resolver problemas que já vislumbram possível convulsão social que pode nos levar a maiores sofrimentos e privações. Há alguns anos temos um pouco de tranqüilidade por vivermos com uma moeda forte, sem inflação mas sentimos necessidade de acertos estruturais ainda penden

FESTA DA PENHA

Os romeiros sobem a ladeira, a ladeira da Virgem da Penha. Vão deixando pelo caminho, as rezadeiras, culpas, pecados, dores, tristezas, mil. Fieiras de luz faiscante de velas em mãos peregrinas iluminam corações, de insones romeiros que rezam, desfiando as Ave Marias, com fé, em rosários de lamentações. Bem no alto do morro, pés descalços, caminhantes, lá chegam em procissão, confiantes. E as dores das feridas, as muletas, se misturam com o pó pelo chão. Todos cantam, todos rezam e o estandarte estremece no mastro. Mãos postas a rezar. Os romeiros lá se vão. E todos em uma só voz: Ó! Virgem da Penha tenha piedade de nós. Ó! Virgem da Penha Humildemente eu lhe peço perdão, muita saúde muito d

VOVÓ FILHINHA

A Vovó Filhinha era mesmo muito especial. Todos a chamavam de Dindinha. Não sei o porquê... eu, não a chamava assim. Sempre encolhidinha mãos postas sobre altar Jesus Cristinho a adorar. Era muito religiosa. Parecia estar sempre em contato com o seu Deus. Devota de Santa Teresinha, seu espírito em orações zelava pela felicidade de todos. Quando ganhou seu primeiro rádio a pilha, muito contrita não deixava de rezar, todos os dias, de joelhos a Ave-Maria e ouvir as notícias da guerra porque seu filho Criso estava lá, representando nosso País. Era radiotelegrafista das forças aliadas. Conta-se que um dia, desesperada, fez promessa à Santa: que recebesse um aviso que aquietasse seu coração de mã

PELA CRIANÇA, PELO ADOLESCENTE, POR NÓS

Tem chamado nossa atenção o grande enfoque que a mídia dá aos aspectos negativos do comportamento social do jovem e o destaque menor aos movimentos deste mesmo jovem como cidadão participativo e responsável assumindo posturas decisivas na construção de um mundo melhor. Hoje os jovens assumem responsabilidades. Mais cedo respondem por seus atos. Uma jornada tão variada e importante de incentivo e preparação ao jovem como a proposta pela Prefeitura de Vitória merece nossos aplausos mas só se sustentará no confronto de outras diversas experiências já implantadas em nosso estado. Para estimular a discussão, sugerir reflexões e garantir os objetivos propostos é preciso conhecer os resultados de p

ESCREVO

O poeta ao poetar transpira emoção. É ser refulgente. Embeleza o mundo, reconstrói o real trabalhando o imaginário. Busca no outro o amor sublime da vida, a rosa oculta no jardim, a melodiosa tarde empassarada... Admira o belo! Simplesmente, o belo sem julgamentos, nem sei se por intuição ou se por conceitos racionais, mas admira. Vai além... muito além... Além da Terra, além do céu, fora do sistema Solar. Poeta é um ser iluminado capaz de ouvir o farfalhar de folhas orvalhadas, o marulhar de águas encantadas... O ruído de Sol ao nascer, um coração solitário a bater. Poeta é um prosador iluminado? Ou iluminado é o prosador que se ilumina no poeta? A todos digo sinceramente, não se espantem,

Postagens anteriores

Envie seu email